19 de set de 2010

Morte.


Toc toc.
A porta bateu. Senti medo. Não me parecia um bom momento para atender uma porta, estava com medo. Estava frio, e o vento forte.
Mas o o céu, bem, o céu estava rosa.

Atendendo a porta me veio uma onda de gelo, e lá não havia ninguém.
Tanto silêncio. Minha mente estava em pedaços, e eu completamente partida.

A lembrança de dias tristes tomaram conta do meu ser. Lágrimas caíam, e eu não parava de tremer.
O céu ficou azul marinho.

Lembrei. Sonhei. Chorei. Tentei fugir. Relacionei essa onda de sofrimento à mim mesma. Quão sutil era. Quão normal. Inconsequente. A janela estava aberta. E não, não a fechei...
Lágrimas tomaram conta de mim, sofri, não quis mais saber dessa coisa de sofrimento. Então eu adormeci.

Silêncio.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.


O céu havia mudado, agora ele estava preto.

4 comentários:

Macaco Pipi disse...

a certeza de todos!

Hemmely disse...

legal :)

Daniela Mendonça disse...

nossa, adorei seu blog ..
me identifiquei muito com tudo aqui *-*

Reynaldo Araújo disse...

Oii linda,
Amei seus textos também, são sensíveis, expressivos, e alguns até tocantes! Me amarrei, e estou seguindo, vc é uma bloggeira e tanto hein.. tem 4 bloggs..! ahsuhasuhas.

Sempre estarei marcando presença aqui!
Obrigado

Bom final de semana!